quarta-feira, setembro 10, 2008

- Você é porco, é, Márcio?!


Tenho um grande amigo chamado Gera que já prometeu parar de falar comigo caso eu pedisse mais uma vez que ele contasse a história do porco. Eu assumo, às vezes insisto tanto que me torno um sujeito chato.

E então, Gera, você vai contar? Conta só mais uma vez a história do Porco. Conta, Gera?

Ok, já que ele não vai contar, eu conto.


Era uma vez duas amigas de Gera em uma casa de praia. Sol, mar, verão. Tudo iria muito bem se não fosse um problema: Betinho, um rapaz com síndrome de down e que passava o dia inteiro provocando as meninas.

- Vocês duas, hein? São namoradas que eu sei, hein? Estão namorando, vocês duas... ficam até nuas uma na frente da outra... – dizia Betinho, sem dar trégua às pobres coitadas.

Elas, já sem a menor paciência, em determinado momento explodiram pra cima do inconveniente rapaz:

- Pára de encher o saco, Betinho! Fica aí dizendo bobagem, aposto que nunca viu uma mulher pelada.

Betinho defendeu-se prontamente:

- Eu já vi sim! Já vi uma mulher peladinha...

- Ah, é?! E quem foi? – perguntou uma delas.

- A namorada de meu primo Márcio – disse Betinho cheio de orgulho.

O tal Márcio era conhecido das meninas. Logo, a curiosidade era inevitável. Perguntaram o que havia acontecido e Betinho, triunfante, contou:

- A gente estava na casa de praia, um monte de gente, a casa cheia. Minha avó mandou eu dormir no mesmo quarto de Márcio e a namorada. Aí eu fui bem cedo pra cama, fiquei lá deitado, todo coberto, fingindo que estava dormindo, um olho aberto e o outro fechado... já estava cansando de tanto esperar, o corpo todo doendo, mas aí os dois entraram no quarto. E eu lá, fingindo que estava dormindo, um olho aberto e o outro fechado... aí eles começaram a se beijar e ficaram se beijando um tempão... Márcio beijou o pescoço dela, ficou beijando, beijando... depois tirou a blusa dela e começou a beijar até o peito da menina!

As meninas fizeram um esforço hercúleo para não rir. Betinho continuou:

- Depois, Márcio colocou ela de costas, tirou a calça dela, tirou até a calcinha! Ela ficou pelada! Aí ele beijou as costas, foi descendo e beijando, descendo, beijando... aí começou a beijar o c* dela... nesse momento eu não aguentei. Dei um pulo da cama e gritei: você é porco, é, Márcio?!?

As duas se desfizeram em gargalhadas. Betinho, não perdeu o embalo:

- Aí os dois tomaram um susto, saíram da cama, foram correndo pro banheiro e se trancaram. Eu fui atrás e fiquei olhando pelo buraco da fechadura, vendo tudo e gritando: eu tô vendo viu, seu porco! Pare com isso, Márcio! Seu porco!!

Não preciso dizer o quanto essas meninas deram risada. Elas e todos que já tiveram a oportunidade de ouvir Gera contar a história. Mas uma coisa não sai de minha cabeça: o que teria tomado Márcio para não sair do clima e ainda continuar a brincadeira no banheiro?

5 comentários:

Dani disse...

Essa eu não conhecia não...
não preciso dizer que estou me pocando de rir, né!?

Luciana disse...

O incrivel eh que eu fiquei ouvindo a voz de Gera enquanto lia "um olho aberto e outro fechado"!

Massa!

Milena disse...

Ja tinha escutado essa na ilha mas não lembrava!! Muito Boa!!
ADOREI!!
Bjo
Ximena

Dedinhos Nervosos disse...

ahhahaahahahhahaahhaha
Gente, isso foi uma das coisas mais engraçadas que já li aahhahahaahahahahahahaha

geraferraro disse...

Peuzinho, que memória fantástica essa sua... se bem, depois de ouvir 99999999999 zilhões de vezes ne?! Mas ninguém pode negar que vc é um cronista muito bom. Valeu mesmo.