quinta-feira, setembro 11, 2008

Cicrano e seu nunchako.


Sabe aquela pessoa que todo mundo gosta e ninguém tem nada para falar mal? É Cicrano. Sou muito amigo de Cicrano, tive a honra de ser seu padrinho de casamento. Mas, se bem que, pensando melhor agora, Cicrano tinha um defeito: ele era um pouco machista, portanto, de vez em quando, demonstrava certo ciúme e se a gente vacilasse, ele partia pra cima de algum cara que fosse mais gaiato.

Na época, o restaurante da moda era o japonês Soho na ladeira da Barra. Cicrano foi jantar lá com a namorada e um casal amigo. Reservaram o tatame, o ambiente mais cobiçado do lugar. Estavam os 4 lá dentro, bem acomodados, dando boas risadas, aproveitando os melhores sushis e sashimis, quando de repente algum desavisado abriu a porta do tatame, talvez imaginando que ali fosse o banheiro. O rapaz sorriu e voltou a fechar a porta. Foi o suficiente.

Após este acontecimento, Cicrano já não mais conseguia prestar atenção na conversa da mesa. Ficou quieto e contemplativo. Após um tempo, levantou-se sem dizer nada e saiu do tatame. Passou pela mesa do suposto paquerador de mulher alheia, olhou fixamente para o cara com sangue nos olhos. O azarado retribuiu o olhar com um gesto de cabeça como quem pergunta: “qual o problema?”.

Cicrano manteve a calma e saiu andando em direção à porta. Só Deus sabe como ele se controlou. Lutador de artes marciais desde pequeno, talvez tenha retirado de dentro de si a maior lição que o oriente o ensinou: a paciência.

Ele foi até o carro e, embaixo do banco, encontrou o que queria: seu nunchako (seja lá como se chama). Pra quem não sabe, o nunchako é uma arma letal composta por duas barras de ferro interligadas por uma corrente. Nada muito delicado. Esta modalidade quando bem lutada parece um verdadeiro malabarismo cheio de movimentos e passagens rápidas de uma mão para a outra. O lutador se movimenta mais ou menos como o Tazmania.

Cicrano não pensou duas vezes. Deu um chute na porta do restaurante e entrou girando o seu nunchako, passando por entre as mesas em uma coreografia alucinante. Os garçons, assustados, tiravam suas bandejas da frente e alguns correram para a cozinha. Naquela fatídica noite, Cicrano mostrou tudo o que havia aprendido nas aulas de Kung Fu com ênfase em nunchako.

No primeiro momento, os presentes no restaurante também levaram um susto. Logo em seguida, começaram a aplaudir com empolgação, imaginando ser aquilo uma performance contratada pelo estabelecimento. Afinal, a especialidade da cozinha do lugar era oriental.

Percebendo a movimentação diferente no restaurante e também a demora de Cicrano, sua namorada e o casal amigo saíram do tatame para ver o que estava acontecendo. Surpresos com tudo aquilo, foram em direção a Cicrano, um verdadeiro liquidificador humano girando por entre as mesas. Seguraram o rapaz e o levaram de volta para dentro do tatame com nunchako e tudo. Lá dentro ele aparentemente se acalmou. Mas só aparentemente. Ficou aguardando com paciência a silhueta de seu desafeto levantar da mesa e ir embora. Quando isso aconteceu, ele pediu licença para ir ao banheiro, abriu a porta do tatame e apressou o passo para alcançar os rapazes que já estavam indo embora. Não houve tempo. Todos entraram no carro e já estavam subindo a ladeira quando Cicrano, esbaforido, apareceu na porta. Num ato de nobreza, o rapaz que estava na mesa e que agora ocupava um lugar no carona chamou Cicrano, estendeu a mão direita aguardando um aperto de mãos, um acordo de paz. Cicrano, mais uma vez, não titubeou: apertou a mão do cara e o puxou com toda força para fora do carro. O rapaz ficou pendurado. Os amigos segurando sua perna e o puxando de volta para dentro e Cicrano tentando vigorosamente puxá-lo para fora. Como este era um cabo de guerra de 3 contra 1, os amigos do sortudo venceram. Aos cânticos barulhentos dos pneus, rapidamente o carro sumiu do lugar.

Quando perguntei a Cicrano porque ele havia feito aquilo, ouvi uma resposta cheia de segurança:

- Sou otário? Ele queria era me segurar e arrastar o carro. Já fiz isso uma vez...

12 comentários:

Fábio disse...

Hahahaha!!!

Peu, por onde é que você anda que conhece tanta figura assim?

Rapaz, se essas matérias todas se juntarem num lugar só, vai ser o acontecimento do século!

Força no blog! Continue postando!

Luciana disse...

Hahahahahahahhaahhahahahaha

Voce fez justica, Cicrano com certeza vai ficar muito orgulhoso!

ediney disse...

deus me livre dos meus cicranos que dos meus diabos cuido eu

Personagem Principal disse...

Personagem: Leia esse blog aí...
Amiga: Tá, pera.

...

Personagem: Kd vc? Leu?
Amiga: Não. Não consigo parar de rir...

Renata Belmonte disse...

Melhor coisa que li nos últimos tempos! Enfartando de rir!
Bjs

claudia.uzeda disse...

Poxa, acho que vc foi meu colega no CSP. Conheci seu blog pelo embrulho no estomago e fiquei felicissima com o que eu li. Amei. Acho que vc devia escrever mais.

Anónimo disse...

Só entrei para dizer que não consegui parar de ler e nem sou muito fã de blogs...
Você é realmente a "cabeça mais pensante" que eu conheço(mesmo sendo fã nº 1 do seu "xará" que é meu irmão...)!
Beijos, adorei mesmo!!!

Anónimo disse...

hahahahahahahahahaha......hahahahahahahah....hahahahahahaha......parabens pela precisao jornalistica!!!! Muito engracado!!!

Dedinhos Nervosos disse...

ahahahah tô quase chorando de rir aqui! Ainda bem q meu diretor de criação não tá na sala hahaha

Mas, na boa... espero que seu amigo nunca encontre alguém mais esquentado do que ele. Sabe quando o Indiana Jones encontra o cara da espada? Pois é.

Bj.

merthiolatedigital disse...

rsrsrs
muito bom mesmo...
adorei o blog... vou voltar sempre.

beijos

Lilian Devlin disse...

Vou ter que parar de ler aqui! Tá impossível segurar o riso!
Ah, eu eu te adicionei nos meus blogs prediletos, ok? Se não puder, avisa que eu tiro! Mas deixa, vai!
beijos procê

Anónimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado